Liturgia Diária na Canção Nova

O Ano Litúrgico e São Marcos:

O Ano Litúrgico que é o tempo que marca as datas dos acontecimentos da História da Salvação. Não é como o ano civil, que começa em 1º de Janeiro e termina em 31 de dezembro, mas começa no 1º domingo do Advento (preparação para o Natal) e termina no último sábado do tempo comum, que é na véspera do 1º domingo do Advento, e está dividido em tempos litúrgicos: Advento, Natal, Tempo Comum 1a Parte, Ciclo da Páscoa (Quaresma e Páscoa), O Pentecostes e o Tempo Comum 2a Parte.

Existem  três ciclos pelo qual passa o o Ano Litúrgico chamados de anos A, B, C. A cada ano tem uma seqüência de leituras próprias, ou seja, leituras para o ano A, para o ano B e para o ano C. No Ano (ou ciclo) A, predomina a leitura do Evangelho de São Mateus; no Ano (ou ciclo) B, predomina a leitura do Evangelho de São Marcos e no Ano(ou ciclo) C, predomina a leitura do Evangelho de São Lucas. A regra geral para se calcular o Ano Litúrgico e descobrir em que ano estamos consiste no somatório do número do ano em que estamos. Por exemplo, podemos dizer que “todo o múltiplo de três é C: 2001 é (2+0+0+1 = 3 = Ano C; 2002 é 2+0+0+2 = 4 (3+1) = Ano A; 2003 é 2+0+0+3 = 5 (3+2) = Ano B; 2004 é 2+0+0+4 = 6 (é múltiplo de 3) = Ano C; 2005 é 2+0+0+5 = 7(3+3+1) = Ano A; 2006 é 2+0+0+6 = 8 (3+3+2) Ano B; 2007 é 2+0+0+7 = 9 múltiplo de 3) = Ano C.

Este ano, estamos vivendo na nossa Igreja o Ano Litúrgico de 2012, que teve inicio no dia 27 de Novembro 2011 e indo até o dia 01 de Dezembro de 2012, é o Ano B (2+0+1+2=5 (3+2= ano B) e, portanto, onde predominará o período todo a leitura do Evangelho de São Marcos.

Para nos envolvermos mais na Liturgia desse ano com o Evangelho de São Marcos nada melhor do que conhecer Marcos o personagem do Evangelho e Marcos o Evangelista.

Marcos era judeu da tribo de Levi de nome de João, depois tomou o nome romano e considerado fundador da igreja do Egito e da cidade italiana de Veneza.  A principal fonte de informações sobre sua vida está no Ato dos Apóstolos. Filho de Maria de Jerusalém e primo de Barnabé, não pertenceu ao grupo dos doze apóstolos originais. Foi convertido à fé cristã através do batizado realizado pelo próprio Pedro.

Acompanhou inicialmente São Barnabé e São Paulo em viagens apostólicas, e depois trabalhou com Pedro em Roma durante um tempo considerável, gozando da sua íntima amizade, já que Pedro costumava frequentar a casa de seus pais, juntamente com Maria mãe de Jesus e outros cristão primitivos. Pedro chega a chamado afetuosamente de filho.

A tradição leva a crer que na casa de São Marcos teria acontecido a Santa Ceia celebrada por Jesus, assim como dia de Pentecostes, onde "inaugurou" a Igreja Católica.  Ainda a entendimentos que seria o próprio Marcos o rapaz que foge na ocasião da prisão de Jesus (MS 14,51-52).

O Evangelho de Marcos juntamente com os Evangelhos de Mateus e Lucas são conhecidos como Evangelhos Sinópticos por retratarem uma grande quantidade histórica em comum, na mesma sequencia e, em algumas vezes, utilizando a mesma estrutura de palavras.

Todavia, São Marcos retrata ações e palavra de Jesus Cristo a partir de sua vida pública, preocupando-se em transmitir as mensagens de Jesus Cristo, o Filho de Deus, anunciando o Reino de Deus. Sendo Judeu e escrevendo para pagãos São Marcos tem a preocupação de explicar características do povo judeu.

Assim, temos que o início de seu Evangelho começa com o próprio anúncio do Evangelho: “Começo (Princípio) da Boa Notícia (Evangelho) de Jesus, o Messias, o Filho de Deus” (Mc 1). O início da Boa Nova começa como João Batista no deserto, pregando um batismo de conversão para o perdão dos pecados: “Esta é a voz daquele que grita no deserto.”

 

Por Natália Fontenele

Agente da Pastoral do Batismo

(Material utilizado para base do Jornal Voz Viva de Fevereiro/2012)


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!